Bruce Springsteen em Boston: A notícia desempenha um passeio ruim no chefe

A multidão estava levantando a Boston Bruins, quarta-feira à noite; No entanto, ninguém sabia que o canadense acabara de sair pela instalação. Os 17.000 espectadores cantavam e dançaram por quase três horas para o som de Bruce Springsteen Music e e Street Band. Um show enérgico e generoso, que tinha um grande gosto de já visto.

Uma vez Bruce Springsteen estava em turnê com um álbum de canções pop, alimentou a esperança da esperança. Eleição de Barack Obama, agora o Crise econômica cai em seu país. Como este artista consciente poderia cantar coisas bonitas, mas luz como surpresa, surpresa e rainha do supermercado quando seus compatriotas perdem seus empregos por centenas de milhares?

Quarta-feira, Springsteen N Sung que três trechos de trabalho Nós sonhamos, que geralmente joga seu novo álbum quase inteiramente. Com o Badlands na partida – crise econômica – e nascido para correr antes do lembrete, foi um pouco o mundo de cabeça para baixo para os regulares do chefe. Imediatamente depois de trabalhar, temos sonho, uma pequena flor azul no contexto, ele acorrentou com três músicas onde há uma questão de indústria em perigo e desemprego: as sementes rarissime, o Rockabilly Johnny 99 – quase hop-la-life, curiosamente – E Youngstown teatral, com o usual inflamado solo do guitarrista Nils Lofgren que, apesar de suas duas transações nos quadris, twirvolent como um possuído. Em um lembrete, fomos com direito a uma canção de 1854, tempos difíceis não mais, e a terra em movimento da esperança e sonhos, para a redenção.

O chefe tem pedidos aceitos. Fãs especiais. Em Boston, a síndrome do rio Gregory Charles é chamada. Ganhou um forte espírito lindo na noite, um para você corrigir sem mais, e nada menos do que eu quero ser sedado de ramones, que Steve Van Zandt sabe de coração. Durante a banca Pete, a imensa piscadela em Leone e Morricone, foi distinguido, na escuridão, a silhueta de pistola Bruce tampou com um chapéu de cowboy, na frente de nuvens de fumaça.

o tempo de algumas músicas , o baterista Max Weinberg deu lugar ao seu filho Jay, que o substituirá na Europa em breve. Fiston acaba de ter 18 anos, ele joga duro e sente um claro prazer se divertir com os amigos do pai. Mas quando o Max não está lá, as músicas do Springsteen estão perdendo um elemento essencial do som da banda de rua.

Um pedido de casamento

no lindo lembrete, Springsteen ficou no palco Tim Brennan de O grupo punk-celta local Dropkick Murphys, que se ajoelharam na frente de sua loira e pediu casamento. Ela chorou, mas ela disse sim. O chefe tinha sido obrigado a cadeia com tão jovem e apaixonado, uma certa circunstância música, mas quem não foi para a posteridade. Felizmente, terminou em estilo com terra americana, dias de glória e um último lembrete não planejado no cenário, velho rock sete noites para rock.

Springsteen e a banda de rua E nunca fizeram duas voltas diferentes em menos de um ano. A morte do organista Danny Federici no ano passado, e a idade dos músicos da banda de rua é certamente para algo – aos 67 anos, o saxofonista Clemons Clemons passa metade do show em um banquinho, embora o solo em Jungleland é sempre um destaque da noite.

Para dizer tudo, quarta-feira, eu tive sobre o mesmo sentimento do fim do tempo que no túnel de amor show, em 1988. No final desta pequena turnê, onde A Springsteen deu a impressão de ser acompanhada pela faixa de rua e em vez de fazer um corpo com o grupo, eles participaram juntos na turnê da Anistia Internacional e o chefe lutou contra seus velhos amigos que encontrou apenas 10 anos depois.

Eu desejo que a Springsteen e a banda de rua E continue sua turnê e passe por Montreal para o retorno da Europa até o final do verão. Mas desde quarta-feira, não acredito menos e menos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *